De bicicleta para o trabalho diariamente

Categories: Notícias

Aos 51 anos, Ana Lúcia diz sentir no corpo e na alma as vantagens que a bicicleta oferece e conta com a ajuda da equipa Bike Anjo Floripa.Nesta última sexta feira dia 10 de maio houve uma ação nacional para o incentivo do uso cotidiano da bicicleta. Foi o dia nacional de ir para o trabalho de bicicleta. Em Florianópolis o Bike Anjo foi acionado para acompanhar a jovem ciclista Ana Lúcia na volta do trabalho em sua blitz dobrável.

Ana Lúcia é Servidora Pública e trabalha próximo a Av. Beiramar Norte na altura do Koxixo’s. Sua casa fica no bairro Prainha-José Mendes, quase oito quilômetros de distância, intercalamos a maior parte do percurso pela ciclovia da Beiramar Norte com a Avenida Gustavo Richard, onde não há mais ciclovia e o trânsito fica um pouco “tenso” por conta do fluxo que vem do Continente pela ponte para acessar o túnel e terminamos na agradável e bela rua Silva Jardim (que depois do deslocamento do trânsito do Sul da Ilha e do aeroporto para o túnel Antonieta de Barros, passou a atender prioritariamente o fluxo local se tornando muito agradável para passar de bicicleta, mesmo sem ciclovia ou ciclofaixa). O percurso todo demorou aproximadamente quarenta minutos e foi muito agradável.

Ana Lúcia tem 51 anos e está planejando se aposentar em breve, mas antes resolveu realizar seu velho sonho de usar a bicicleta como meio de transporte cotidiano e se sentiu inspirada pela proposta bike to work day para se lançar nesta aventura. Com a saúde em dia e sempre sorridente, a parte da ciclovia foi um descontraído cruzeiro com interessantes diálogos sob as luzes da Ponte Hercílio Luz. Na avenida Gustavo Richard, foi identificado que Ana Lúcia tinha medo de “encarar” os veículos e até tentou andar pelo bordo direito da pista, como é recomendado pela lei, mas se sentiu mais segura pedalando pela calçada muito irregular e cheia de obstáculos como rampas de acesso muito ingrimes, calçamento quebradiço e constantes buracos, de modo que assim que entrou na Rua Silva Jardim preferiu usar o bordo da pista e sentiu as vantagens do asfalto: mais liso, com menos obstáculos e mais regular, reencontrando a sensação de cruzeiro reforçada pelas voltas que a rua faz na orla da Baia Sul. Aí recebeu instruções de sinalização manual e de equipamentos de segurança para melhor ser vista no trânsito e melhor ser prevista pelos motoristas.

Nossa protegida já frequentou ambientes interessantes no Brasil como a Serra do Rio do Rastro e a subida a pé da Serra do Corvo Branco além de contemplar paisagens de diversas cidades catarinenses a pé, que é como pretende fazer o Caminho de Santiago de Compostela, o que vamos tentar convencê-la de fazer sobre as duas rodas. Ana Lúcia ficou e está tão entusiasmada com a idéia que aos poucos usa a bicicleta como meio de transporte regular, pois como ela mesma realça sentir no corpo e na alma as vantagens que a bicicleta oferece no ir e vir do trabalho e que tem repetido a aventura todos os dias desta semana como se fosse uma espécie de turismo urbano, redescobrindo a cidade em que vive.

O exemplo de Ana Lúcia ilustra muito bem uma mudança de comportamento na nossa sociedade, pois gradativamente as pessoas estão buscando usar a bicicleta como meio de transporte por diversas razões, entre elas para levar uma vida mais ativa e mais saudável, por ser mais prático, por gerar menos custos no fim do mês e por ser um meio mais sustentável para o meio ambiente.

E você, já decidiu qual seu motivo para ir e vir do seu trabalho de bicicleta?  Na dúvida, chame um Bike Anjo.

Author: bikeanjofloripa

Deixe uma resposta